Março 30, 2010

Se o serra for presidente, a feira vai voltar

Posted in Uncategorized às 9:42 pm por valdezbhz

29 de Março de 2010 – 16h44

Petroleiros denunciam programa privatista do pré-sal dos tucanos

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) alerta que “caso vença as eleições presidenciais de outubro, o PSDB, deve rever a legislação que tramita no Congresso referente ao pré-sal. Os tucanos pretendem retomar as regras do marco regulatório do petróleo elaboradas no governo Fernando Henrique Cardoso em 1997, que estabeleceu o sistema de concessão”.

A denúncia dos petroleiros é baseada nas declarações do deputado Luis Paulo Vellozo (PSDB-ES), cotado para coordenar o programa de governo de José Serra para a presidência da República, publicadas pelo jornal Valor Econômico da edição do dia 22 de março.

“Falando em nome do candidato tucano, Vellozo foi categórico ao declarar que o PSDB restabelecerá os leilões de concessão para as áreas do pré-sal, caso Serra seja eleito presidente”, destaca a FUP.

O deputado tucano ressaltou ainda que o PSDB é terminantemente contra o fortalecimento da Petrobrás e que Serra, se eleito, irá impedir a emissão de Títulos do Tesouro para a operação de capitalização da empresa.

DNA privatista

Os petroleiros destacam ainda que “José Serra já provou que seu DNA, assim como o de FHC, é privatista. Vide a entrega da CESP, maior companhia de energia elétrica do país, o desmonte do banco Nossa Caixa (que foi adquirido pelo Banco do Brasil) e a tentativa de privatização da SABESP (companhia estadual de saneamento básico)”, citando os exemplos ocorridos em São Paulo, sob a administração tucana nos últimos 15 anos.

“O patrimônio público foi dilapidado durante os oito anos do governo FHC, quando tucanos e demos promoveram a maior privataria da história do Brasil. Nosso petróleo foi entregue às multinacionais, a Petrobrás foi sucateada e só não foi privatizada porque os trabalhadores e a sociedade reagiram”, lembra a direção da FUP.

Para os petroleiros, uma possível eleição de Serra representa a entrega das reservas bilionárias do pré-sal às multinacionais. “Basta acompanhar a disputa pelo petróleo que está em curso no Congresso Nacional e ver de que lado estão os tucanos e demos”, alertam.

Eles também citaram dados publicados na coluna “Mercado Aberto” do jornal O Globo, no dia 13 de fevereiro, dando conta de que a multinacional Shell foi uma das que mais lucrou com os leilões de petróleo no Brasil e já é operadora de cinco blocos nas bacias de Campos, Espírito Santo e Santos, onde detém 100% do BM-S-54.

“Graças ao entreguismo do PSDB/DEM, a Shell tem também participação de até 40% em cinco blocos operados pela Petrobrás, além de ser operadora única em outros cinco blocos de campos de produção terrestre, na Bacia de São Francisco. Tudo isso, graças à privataria dos tucanos e demos, também conhecida como Lei 9478/97, que criou o regime de concessão do petróleo e gás brasileiros. Esse é o modelo defendido por Serra para dar continuidade à entrega dos nossos recursos às empresas privadas”, finalizam.

Com informações da FUP

Partido da imprensa golpista

Posted in Uncategorized às 9:36 pm por valdezbhz

30 de Março de 2010 – 18h40

Mídia capitalista mostra a cara e o caráter na cobertura do PAC

O presidente Lula tem toda razão ao criticar a mídia capitalista e deplorar as mentiras que ela veicula diariamente sob a máscara de um jornalismo objetivo, apolítico e imparcial. Na medida em que a corrida presidencial avança, tal máscara cai, deixando transparecer uma campanha orquestrada contra o governo e a pré-candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff. A cobertura do PAC 2 pelos principais meios de comunicação no país não deixa margens a dúvidas quanto a isto.

A Rede Globo abordou o tema hoje (30) em seu programa matinal de notícias, “Bom dia Brasil”, ironizando as metas propostas pelo governo e apresentando o programa como eminentemente “eleitoreiro”. Comentaristas da área econômica, a soldo da família Marinho, como Mirian Leitão e Carlos Alberto Sardenberg, este na CBN, não economizaram críticas.

Dois pesos e duas medidas

Os outros veículos da mídia capitalista foram pelo mesmo caminho. O título da chamada de capa de “O Estado de São Paulo” nesta terça (30) foi “PAC 2 traz promessas para atrair leitor urbano”. Já a “Folha de São Paulo” afirma (página A7): “Governo infla PAC 2 com obras antigas”. Pelo menos dois articulistas do jornal da família Frias (Fernando Canzian e Vinícius Torres Freire) foram mobilizados para desacreditar o programa.

É sintomático que, em relação ao pré-candidato tucano, José Serra, que no mesmo dia do lançamento da segunda versão do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC 2) fez demagogia com os empresários do ramo têxtil, reduzindo a alíquota de ICMS, a atitude tenha sido diferente. Neste caso, parece (para quem se guia pela mídia) que o gesto do ainda governador paulista não teve nada a ver com a corrida presidencial. Nosso Portal, que toma o partido das forças progressistas, denunciou a hipocrisia tucana, que conta com o poderoso respaldo dos chamados meios de comunicação de massa.

Partidarismo de direita

Deste modo, vai se revelando o verdadeiro caráter da mídia capitalista, que apesar das aparências pratica um jornalismo engajado e partidário, o que não seria censurável, não fosse o fato de que isto contradiz a falsa profissão de fé no jornalismo objetivo e imparcial. Além disto, trata-se de um jornalismo partidário do que há de mais reacionário e atrasado em matéria de política e linha editorial.

O PAC não é um programa perfeito e também não deve ser confundido com o novo projeto de desenvolvimento nacional defendido por alguns partidos que compõem a base do governo Lula e pelos movimentos sociais. Está longe disto e não deve ser isento de críticas. Porém, tem seus méritos e é precisamente isto que preocupa a velha e rançosa direita brasileira, representada por tucanos, demos e companhia.

Negação do “Estado mínimo”

A principal virtude do PAC é resgatar o papel do Estado na promoção do desenvolvimento nacional, pois conforme ressaltou o ministro da Fazenda, Guido Mantega, trata-se do primeiro esboço de plano de desenvolvimento em 30 anos. A última coisa que se viu neste sentido no Brasil foi o II Plano Nacional de Desenvolvimento (PND) do governo Geisel.

Com a história de “Estado mínimo”, o neoliberalismo praticado pelos tucanos nos dois governos FHC jogou na lata do lixo a ideia de planejamento e combateu com todas as armas qualquer tipo de intervenção do setor público na economia. Optou pelas privatizações indiscriminadas, capitulando à pressão do imperialismo e fazendo o jogo dos grandes capitalistas estrangeiros e nacionais.

Além de conferir ao Estado um papel central no desenvolvimento econômico, o PAC prioriza investimentos que vão ao encontro das demandas dos movimentos sociais, preconizando obras bilionárias na área de saúde, habitação, energia, saneamento e infra-estrutura. Tucanos e demos, com respaldo da mídia capitalista, preferiam que nada disto fosse feito e que o tempo retrocedesse aos anos miseráveis de FHC.

Da redação, Umberto Martins

Fonte: http://www.vermelho.org.br

Perseguição ao jornalista pha

Posted in Uncategorized às 4:01 pm por valdezbhz

Paulo Henrique Amorim encaminhou o documento anexo à Polícia Federal, em São Paulo, nesta tarde de segunda feira, dia 29 de março de 2010:

“Se pudesse decidir se devemos ter um governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último.” Thomas Jefferson

“A imprensa não tem que ser justa; tem que ser livre.” Márcio Thomaz Bastos, ex- Ministro da Justiça

“A imprensa regula o Estado, e a internet se contrapõe à própria versão da imprensa sobre as coisas. A internet é o espaço da liberdade absoluta, para além da liberdade de imprensa.” Ayres Britto, Ministro do Supremo Tribunal Federal

São Paulo, 29 de março, 2010

Dra. Juliana Resende Lima
Delegada da Polícia Federal – São Paulo

Prezada Dra. Juliana Lima,

Lamentavelmente, depois que falamos ao telefone surgiram compromissos profissionais que me impedem de atender ao seu convite.

(Anexo o e-ticket da viagem.)

Gostaria, porém, de ponderar, com todo o respeito, que não vejo por que ser entrevistado numa ação “disciplinar” realizada pela Corregedoria da Polícia Federal.

Desde que recebi o documento concernente ao convite, me fiz essa pergunta: o que eu tenho com isso ?

Daí a razão do meu telefonema, além de informar que não seria possível atender ao convite na data antes marcada.

Mas, percebi que a senhora – com um tom de voz deselegante e até arrogante, devo sublinhar – quer saber quem me passava informações sobre a Operação Satiagraha.

Sou jornalista há 49 anos e me habituei a entender o que as pessoas me dizem.

Diante disso, telefonei ao gabinete do Ministro da Justiça – a quem, pelo menos no plano formal, a Polícia Federal se subordina – e formulei a seguinte pergunta, dirigida ao próprio Ministro Luiz Paulo Barreto: “O Governo do Presidente Lula agora deu para querer saber a fonte de jornalista ?”

Para responder a essa pergunta, a Assessora Especial do Ministro da Justiça, Christina Abelha, me honrou com uma visita à redação do Conversa Afiada, em São Paulo, nesta sexta-feira 26 de março de 2010.

A Sra. Abelha me informou que o Ministro da Justiça, em absoluto, não queria saber quais eram as minhas fontes de informação.

Pedi, então, que dissesse isso por escrito, num e-mail que pudesse submeter à sua douta apreciação, Dra Resende Lima.

Aí vai, na íntegra, o e-mail que recebi neste sábado:

Caro Paulo Henrique,
Atendendo seu pedido de esclarecimento sobre a intimação para que compareça, na condição de testemunha, à Corregedoria da Superintendência Regional da PF em São Paulo, para prestar informações no interesse de Sindicância instaurada pela Corregedoria-Geral, a fim de apurar possíveis vazamentos nas investigações que culminaram na Operação Satiagraha, informo que:
Sua preocupação, a mim relatada, de que o interesse único dessa intimação seria conseguir os nomes de suas fontes, envolvidas no trabalho jornalístico que realizou, não procedem. O direito do jornalista de preservar os nomes de suas fontes é lícito e, em momento algum, você será obrigado a revelá-las.
Por parte do Ministro da Justiça, Luiz Paulo Barreto, esclareço que não há e não haverá, em sua gestão, qualquer tipo de ação abusiva de sua equipe,  no sentido de forçar cidadãos, no pleno exercício profissional, a revelar o que tiverem o direito de resguardar.
Esperando ter esclarecido suas dúvidas, despeço-me,
Christina Abelha
Assessora Especial do Ministro da Justiça

Dra. Resende Lima, recentemente tive a honra de entrevistar no programa “Domingo Espetacular” o Vice-Presidente da República, Dr José Alencar.

Foi uma entrevista emocionante, que teve, numa leitura preliminar do IBOPE, 16 pontos contra 15 da Globo (depois, nas leituras não-preliminares do IBOPE, a Globo costuma reagir).

A certa altura, perguntei ao Dr. José Alencar, que se submeteu a 15 cirurgias para combater o câncer, se tinha medo de morrer.

Ele respondeu: “Não tenho medo da morte. Tenho medo da desonra.”

Dra. Resende Lima, para um jornalista, revelar a fonte é pior que a morte: é uma desonra.

Aproveito o seu zelo profissional para perguntar sobre o andamento de uma denúncia que fiz à Policia Federal sobre perseguições que sofri de pessoas ligadas ao Governador José Serra e ao banqueiro condenado Daniel Dantas.

Transcrevo, a seguir, a notícia sobre a denúncia que publiquei em meu site na internet, o Conversa Afiada:

Um portador entregou hoje, segunda-feira, dia 26 de janeiro (de 2009), a seguinte representação na sede da Polícia Federal, em São Paulo.

Quem recebeu foi D. Leonice, secretária do Superintendente  da PF em São Paulo, Dr Leandro Daiello Coimbra.

A representação foi protocolada às 10H55M, sob o número 08500.000346/2009-25

Exmo. Senhor
Superintendente da Polícia Federal no Estado de São Paulo
Delegado de Polícia Federal Leandro Daiello Coimbra
N E S T A

Senhor Superintendente,

Paulo Henrique Amorim, jornalista, … vem à presença de V.Exa. para expor e requerer o que segue:
O requerente e membros de sua  família têm sofrido ações de espionagem, perseguição e grampo telefônico por parte de indivíduos que atuam a mando do banqueiro  Daniel Valente Dantas e do governador José Serra. A ação desses indivíduos visa intimidar a atuação profissional do requerente, cuja cobertura jornalística noticia atos prejudiciais à sociedade praticados por Dantas e Serra.

Diante do exposto, e em atendimento à solicitação do Exmo. Ministro da Justiça, dr. Tarso Genro (conforme correspondência anexa) o requerente solicita de V.Exa. sejam adotadas as providências necessárias para apuração dos fatos e punição dos envolvidos.

São Paulo, 26 de janeiro de 2009
Paulo Henrique  Amorim

Se for o caso, posso encarecer ao Exmo. Ministro da Justiça para que, como fez o antecessor, sugira à Polícia Federal para concluir as investigações.

Atenciosamente,

Paulo Henrique Amorim

Fonte: www.paulohenriqueamorim.com.br

BBB – êta programinha ordinário

Posted in Uncategorized às 11:59 am por valdezbhz

Juiz determina que Globo corrija informações sobre aids

Agencia Estado – 29/03/2010 – 21:05

O juiz Paulo Cezar Neves, da 3ª Vara Civil Federal de São Paulo, acolheu parcialmente, nesta segunda-feira, pedido de liminar em ação cautelar feito pelo Ministério Público Federal (MPF) contra a Rede Globo. Neves determinou à Rede Globo que veicule, aos telespectadores do Big Brother Brasil 10, esclarecimento sobre as formas de transmissão da aids.

A iniciativa foi motivada por uma conversa entre dois participantes do BBB 10 apresentada no dia 9 de fevereiro. Segundo o MPF, o participante Marcelo Dourado, finalista do reality show, afirmou que pessoas heterossexuais “não pegam aids” e que obteve a informação com médicos. O participante assegurou ainda que um homem pode transmitir a doença, por meio do sexo, para outro homem, mas uma mulher não a transmite, nas mesmas condições, para homens.

Ainda no documento, o juiz endossou as críticas feitas pelo MPF e fixou uma multa, em caso de descumprimento, no valor de R$ 1 milhão. De acordo com o MPF, ao optar pela exibição desta fala do participante, a emissora “prestou um desserviço para a prevenção da aids no Brasil”. O Ministério Público havia pedido para o esclarecimento o dobro do tempo gasto por Dourado sobre suas teses sobre a transmissão da aids. O juiz, no entanto, concedeu tempo igual ao gasto no episódio do BBB.

A Procuradoria também abriu inquérito civil público para apurar o dano à sociedade causado pela exibição da conversa do participante Marcelo Dourado com outros moradores da casa do BBB 10. A emissora, avalia o MPF, “deixou de fornecer informações corretas sobre as formas de transmissão do vírus HIV”.

Fonte: www.hojeemdia.com.br

Março 28, 2010

Ahhhh, como gostaria de viver sem o dinheiro de plástico.

Posted in Uncategorized às 11:04 pm por valdezbhz

STJ contra preço diferente no cartão

Decisão do Superior Tribunal de Justiça considera abusiva a diferenciação de preço por esta forma de pagamento. PROTESTE tem campanha cartão igual a dinheiro.

A decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), dia 24 de março, descartando a cobrança de preços diferentes para pagamentos em dinheiro ou com cartão de crédito mostra que a PROTESTE Associação de Consumidores está no caminho certo com a campanha para que o preço a vista seja mantido com este meio de pagamento. Os ministros da 3ª Turma do STJ entenderam que o pagamento com cartão em uma única parcela não pode sofrer acréscimo. A cobrança foi considerada abusiva e pode ser punida.

A decisão foi no julgamento de uma ação do Ministério Público do Rio Grande do Sul contra um posto de combustível do estado, que poderá pagar R$ 500 de multa, por dia, se mantiver a cobrança diferenciada para os pagamentos em dinheiro ou em cartão de crédito. O Tribunal de Justiça manteve o preço diferenciado por considerar que o comerciante só receberá o dinheiro após 30 dias.

Contudo, para o relator do recurso no STJ, ministro Massami Uyeda, o consumidor já paga à administradora uma taxa pela utilização do cartão de crédito e a instituição financeira garante ao estabelecimento comercial o recebimento do crédito. Ele acrescentou que, ao disponibilizar esta forma de pagamento, o comerciante agrega valor ao seu negócio, atraindo, inclusive, mais clientes.

O ministro considerou ainda que há uma relação entre a instituição financeira que emite o cartão e o cliente, que paga uma taxa de administração, e outra entre a instituição financeira e o comerciante, que transfere um percentual da venda em troca da total garantia de recebimento do crédito.

“Imputar mais este custo ao consumidor equivaleria a atribuir a este a divisão dos gastos advindos do próprio risco do negócio, de responsabilidade exclusiva do empresário”, afirmou.

Os consumidores tem sido estimulados pelos comerciantes a pagar com cheque ou dinheiro para obter desconto na hora do pagamento. Mas a PROTESTE avalia que o valor pago pelo empresário às operadoras e o aluguel da máquinas deve ser tratado entre eles, pois não faz parte da relação com o consumidor e tais custos não podem ser repassados ao consumidor que paga com cartão de crédito ou débito.

Pela terceira vez, em menos de dois anos, tramita no Congresso projetos que tentam fazer com que o consumidor pague as taxas cobradas pelas operadoras de cartão de crédito. O consumidor já arca com os custos da anuidade de seus cartões, justamente para poder usá-lo com segurança, como forma de pagamento à vista.

Isso é o que prevê o Projeto de Lei do Senado (PLS) 492/2009, que quer alterar o Código de Defesa do Consumidor “para permitir a fixação de preço diferenciado na venda de bens ou na prestação de serviços pagos com cartão de crédito em relação ao preço à vista”.

25.03.2010 – fonte: http://www.proteste.org.br

Economize energia. Nosso planeta agradece.

Posted in Uncategorized às 11:03 pm por valdezbhz

Sustentabilidade:

Pode vir quente

O uso do sistema híbrido, que une o aquecimento solar ao chuveiro elétrico, cresce no país à medida que vem sendo empregado em projetos habitacionais populares.

Os fabricantes de chuveiros elétricos e os de aquecedores solares resolveram se unir. O resultado é uma forma mais barata de implantar o aquecimento solar, que tem sido adotada por programas de financiamento de casas populares nos últimos anos. É o que algumas entidades – como a ONG Sociedade do Sol, a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee) e a Associação Brasileira de Refrigeração, Ar Condicionado, Ventilação e Aquecimento (Abrava) – chamam de “sistema híbrido”. Para discutir a sua normatização existe até uma comissão do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro).

Nesse sistema, o chuveiro elétrico serve de “apoio” ao sistema de aquecimento solar, acudindo o consumidor caso ocorra uma sequência de dias chuvosos. Assim, se o clima não estiver propício para que o sol esquente a água nos coletores, o chuveiro elétrico entra em cena. “Essa união é uma excelente solução”, elogia o engenheiro Marcelo Mesquita, gestor do Departamento Nacional de Aquecimento Solar (Dasol), da Abrava. “É o melhor de dois mundos”, considera Carlos Alexandre Cella, diretor do Grupo de Chuveiros Elétricos da Abinee.

COMO FUNCIONA

Há mais de uma maneira. Em projetos habitacionais populares de São Paulo e Minas Gerais, o aquecedor e o chuveiro elétrico são instalados na residência, e o usuário só precisa acionar o segundo quando o dia estiver chuvoso ou frio.

A ONG Sociedade do Sol, também ligada a projetos populares, propõe a utilização de um dimmer para regular o aquecimento do chuveiro. O princípio do acessório, que acompanha alguns modelos de chuveiro elétrico ou pode ser comprado separadamente, é o mesmo daquele utilizado em lâmpadas. Uma terceira possibilidade, bem mais cara, é o chuveiro eletrônico, que vem com um sensor de calor e um dimmer automático. Basta o consumidor ou o fabricante programar a temperatura e a vazão, e o chuveiro faz o resto do serviço, ou seja, quando necessário, complementa o aquecimento da água que chega do equipamento solar com a resistência elétrica.

O aparato solar tradicional sempre possui algum apoio ou backup. Geralmente, trata-se de uma resistência elétrica instalada no próprio reservatório de água quente ou um pequeno sistema a gás. No entanto, na opinião de Augustin Woelz, coordenador do projeto Aquecedor Solar de Baixo Custo (ASBC), da Sociedade do Sol, pode haver perdas, pois muitas vezes o apoio aquece todo o conteúdo do reservatório desnecessariamente. O chuveiro elétrico, por outro lado, esquenta só o volume que será utilizado.

Porém, para o físico Délcio Rodrigues, coordenador do projeto Cidades Solares e coautor do livro Um banho de sol para o Brasil (editado pelo Instituto Vitae Civilis), o chuveiro elétrico consome energia demais. “Como ele tem de esquentar a água no momento em que será usado, precisa ser muito potente”, afirma. Já a resistência que fica no reservatório de água quente, no caso do sistema solar convencional, é mais fraca e trabalha mais devagar. “Assim, demanda menos do sistema elétrico nacional [em horário de pico]”, diz. Essa característica, muito importante, perde espaço no sistema híbrido.

Vale a pena saber

Sistema solar
É constituído, basicamente, por um reservatório de água quente e coletores solares.
Atende, geralmente, a 70% da necessidade de água quente de uma residência. O resto virá do apoio elétrico ou a gás, por exemplo.
Reduz a conta de luz em cerca de 30%.
Contribui para a segurança energética, tanto do consumidor quanto do país.
Ajuda na redução da emissão de gases de efeito estufa, pois parte da eletricidade gerada no país vem de termelétricas a carvão.
O retorno do investimento ocorre após dois ou três anos, devido à economia de energia.

Chuveiro elétrico
Chuveiro com resistência elétrica.
Está presente em mais de 70% das casas
brasileiras.
É responsável por 30% da conta de luz de uma residência; por 18% do consumo energético em horário de pico e por 6% da demanda de eletricidade.
Os aparelhos mais populares têm vazão baixa, ou seja, consomem menos água.
Por ser barato, garante o acesso de todas as camadas populares ao banho quente.

CHUVEIRO ELÉTRICO, O BANDIDO

Já faz alguns anos que ouvimos, quase como uma máxima, que o chuveiro elétrico é o grande vilão quando se trata do consumo de eletricidade. Afinal, esse aparelho é responsável por 18% da demanda energética em horário de pico (entre 7h e 7h30, e 18h30 e 19h) e por cerca de 6% do consumo total de energia no país, segundo o livro Um banho de sol para o Brasil.

Também não é de hoje que os cálculos apontam que o chuveiro, presente em mais de 70% dos lares brasileiros, é responsável por cerca de 30% da conta de luz, cujo valor varia de acordo com cada município. Na capital paulista, atendida pela Eletropaulo, em uma conta de 150 kWh, 30% ou 45 kWh equivaleriam a cerca de R$ 12. Na região de Minas Gerais coberta pela Cemig esse consumo seria equivalente a quase R$ 15.

Mas, mesmo pesando na conta de luz residencial e demandando bastante energia, o chuveiro elétrico não sofre muita concorrência. O motivo é simples: o produto é barato e, portanto, acessível a todas as classes sociais.

Já o preço do aquecimento solar ainda é alto, apesar de haver caído 32% de dois anos para cá. Nem a isenção fiscal (o equipamento não paga imposto sobre Produto Industrializado – IPI, nem Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços – ICMS) conseguiu baratear o sistema a ponto de disseminar sua utilização. Segundo o Dasol/Abrava, em 2008 havia apenas 4,5 milhões de metros quadrados de placas solares no país, o que corresponde a cerca de 800 mil residências (ou 1,78%). “Atualmente, um sistema compacto como o utilizado nas residências da CDHU [Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo], que atende a uma família de quatro pessoas, custa em média R$ 1.700”, informa Marcelo Mesquita, do Dasol/Abrava.

Mas em dois ou três anos o dinheiro investido é recuperado, pois haverá redução na conta de luz. Com gastos menores de energia, fala-se inclusive no aumento do poder aquisitivo das classes populares. Segundo cálculos da Caixa Econômica Federal (CEF), quando sobra dinheiro no fim do mês, a inadimplência cai. Embora a prestação do financiamento de uma casa com sistema solar aumente cerca de R$ 12, a redução na conta de luz, que pode chegar a R$ 50 em alguns estados, compensa.

DICAS

Para quem tem chuveiro elétrico e não pensa em trocá-lo
Deixe a chave no “verão” quando o clima não estiver frio.
Lembre-se de que, quanto maior a potência do aparelho, maior será o consumo de eletricidade.
Ao substituí-lo, busque um modelo com várias opções de temperatura. Vale a pena gastar um pouco mais na hora da compra, pois a economia com eletricidade pode ser de até 50%, segundo a Abinee.

Para quem usa o sistema de aquecimento solar
Não abra muito o registro, mesmo que a ducha tenha grande capacidade.
Coloque um aerador atrás da ducha para economizar água.
Caso a água quente demore a chegar, tente armazenar a água fria em baldes e use-a para regar plantas, por exemplo.

Para ambos os tipos de aquecimento
Quando o clima estiver quente, feche o registro enquanto se ensaboa.
O banho não deve ultrapassar oito minutos. Cinco minutos seria o ideal!
Para saber qual é a vazão do seu chuveiro, coloque um balde embaixo dele e deixe-o ligado por um minuto. Depois, meça a quantidade de água com uma jarra que contenha medidor

BALDE DE ÁGUA FRIA

Um dos problemas do sistema de aquecimento solar é a demora para a água quente chegar ao chuveiro, principalmente em prédios, onde a distância entre o reservatório e o ponto de consumo é grande. A água da tubulação que os interliga acaba esfriando, e até que ela seja substituída pela quente que vem do sistema solar, o registro ficará aberto por alguns minutos. Um grande desperdício. Provavelmente, trata- se de instalações mais antigas, de uma época em que economizar água não era uma preocupação premente, porque seu gasto não pesava nem no bolso nem na consciência ambiental do consumidor.

Especialistas ouvidos pela REVISTA DO IDEC garantem que hoje em dia existem mecanismos que eliminam esse problema e que, quando ele aparece, é devido a falhas no projeto. “Na grande maioria das casas, o tempo [que a água quente leva para substituir a fria na tubulação] é menor que 30 segundos”, diz a doutora em química e pesquisadora Elizabeth Duarte, que até poucos meses atrás coordenava o Grupo de Estudos em Energia Solar (Green Solar) da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG).

Já nos prédios é necessário implantar, basicamente, dois aparatos: o anel de recirculação e o temporizador. O primeiro possui um sensor de temperatura e uma pequena bomba d´água, cujo consumo de energia, segundo a pesquisadora, é muito pequeno. Quando o sensor detecta que a água do encanamento está fria, ele aciona a bomba para substituí-la pela quente. Para evitar que esse mecanismo seja usado muitas vezes durante o dia, desperdiçando eletricidade, entra em cena o temporizador, que estabelece que o anel de recirculação seja acionado somente em determinados horários.

Outro ponto negativo, que no entanto é um dos motivos pelo qual as pessoas optam pelo sistema solar, é a possibilidade de esquentar grande volume de água, o que permite que o usuário instale uma ducha com grande vazão. Em outros tempos, essa característica poderia ser entendida como conforto, mas hoje em dia é considerada consumo exagerado. Para fazer uso racional desse precioso recurso, basta que o consumidor coloque em sua residência uma ducha com menor vazão ou, simplesmente, abra menos o registro na hora de tomar banho. Outra medida eficaz é instalar um aerador, uma espécie de “peneirinha” que contribui para a economia.

Leis “solares”

Nos últimos anos, 26 municípios brasileiros aprovaram leis relacionadas ao aquecimento solar. Em São Paulo, a Lei no 14.459, de julho de 2007, determina que todas as residências novas com quatro banheiros ou mais, hotéis, clubes, academias, hospitais, escolas e demais edificações sejam equipados com sistemas solares de aquecimento de água, de modo a garantir pelo menos 40% da demanda de água quente anual.

Segundo Délcio Rodrigues, do projeto Cidades Solares, ainda não é possível contabilizar as construções que estão de acordo com a nova lei, porque não houve tempo de elas serem concluídas, já que a regulamentação do texto só saiu no início de 2008 e, meses depois, veio a crise econômica, que paralisou a construção civil. “Vai começar a haver entrega de prédios [com o sistema de aquecimento solar] de meados deste ano para a frente”, calcula.

Pesquisa estranha

No ano passado, um estudo deu o que falar. Realizado pelo Centro Internacional de Referência em Reuso de Água da Universidade de São Paulo (Cirra/USP) e patrocinado pela Abinee, ele revelou que o chuveiro elétrico e o sistema híbrido são os mais econômicos. Resultados parciais foram divulgados pelas entidades em abril de 2009 e os resultados finais no início deste mês.

Pouco depois do anúncio parcial, o físico Délcio Rodrigues e os engenheiros Alexandre Salomão, Aurélio Souza e Carlos Faria divulgaram nota técnica criticando a falta de metodologia da pesquisa. “O estudo compara chuveiros elétricos de baixa vazão (média de 4 litros/min) a um aquecedor solar de vazão mais elevada (8,7 litros/min)”, diz o comunicado. Outro problema apontado seria o subdimensionamento do sistema solar para a vazão do chuveiro, o que sobrecarregaria a resistência elétrica de apoio, fazendo com que ele consumisse mais energia do que normalmente.

“Não houve pesquisa científica, pois não compararam coisas comparáveis”, critica Délcio Rodrigues. Carlos Alexandre Cella, da Abinee, rebate: “A pesquisa foi feita com a visão do consumidor, e não do laboratório. Colocamos o que o usuário encontra no mercado”.

Cartilha Uso eficiente do chuveiro elétrico, do Inmetro http://www.inmetro. gov.br/infotec/publicacoes/cartilhas/chuveiro/chuveiro.pdf
Cartilha Aquecimento solar, também do Inmetro http://www.inmetro.gov.br/ infotec/publicacoes/cartilhas/aquecedor_solar/aquecedor_solar.pdf
Livro Um banho de sol para o Brasil, de Délcio Rodrigues e Roberto Matajs (editado pelo Instituto Vitae Civilis). Está disponível para download em http://www.vitaecivilis.org.br/anexos/UmBanhoDeSol.zip
Blog Ecoprático http://ecopratico.com.br/blog/2009/05/cuidados-nahora- do-banho
Cidades Solares, iniciativa das ONGs ambientais Instituto Vitae Civilis e Instituto Ekos Brasil e do Dasol/Abrava http://www.cidadessolares.org.br
Sociedade do Sol http://www.sociedadedosol.org.br

Fonte: revista nº 141 – março de 2010 – http://www.idec.org.br

Dormir bem…pra mim às vezes é difícil.

Posted in Uncategorized às 11:01 pm por valdezbhz

Sono, a falta que ele faz…
Conheça os diferentes estágios durante a noite e os distúrbios devido às noites maldormidas
ANA ELIZABETH DINIZ
Especial para O Tempo

“Cair nos braços de Hypnos e não de Morfeu” seria a frase correta quando tudo o que se quer é uma noite de sono restauradora. O equívoco mitológico, dizem, é porque Morfeu era o deus dos sonhos em que apareciam as formas humanas, mas o deus do sono era seu pai, Hypnos.

Mitologia à parte, dormir não é perda de tempo. “Uma boa noite de sono, em quantidade e em qualidade, é fundamental para os desempenhos físico, profissional, intelectual, social e sexual. O cérebro não desliga, apenas a consciência não participa, sendo um estado ativo, em que várias funções são processadas. Portanto, é preciso que se durma bem”, defende Marília Denise Mariani Pimenta, médica do sono e titular da Academia Brasileira de Neurologia.

Ela explica que, enquanto dormimos, o cérebro apresenta atividades importantes, como consolidação da memória, secreção de determinados hormônios (como o do crescimento), restabelecimento de comportamentos geneticamente predeterminados e ligados à sobrevivência (como fome, sede, sexualidade) e muitos outros.

“O sono não é uniforme, apresentando-se em ciclos de duração de cerca de 90 minutos cada um. Esses ciclos se repetem ao longo da noite até o despertar pela manhã. Cada ciclo é composto por um período sem movimentos oculares rápidos (sono NREM), seguido por outro com movimentos oculares rápidos (sono REM ou sono dos sonhos). O número de horas de sono ideal por noite varia de acordo com a idade e também de pessoa para pessoa”, pontua a neurologista.

E pasme! Existem mais de 150 tipos de distúrbios do sono já classificados pela medicina do sono (veja quadro). “Um sono de má qualidade poderá acarretar alterações da memória, sonolência excessiva diurna, irritabilidade, sinais e ou sintomas semelhantes à depressão (desânimo, cansaço, indisposição), alterações da libido ou da potência sexual, lentidão de raciocínio. Dependendo da profissão, a falta crônica poderá acarretar acidentes até fatais”, alerta Marília.

Por isso, muita atenção. Caso você apresente algum desses sintomas, procure um médico do sono. “Ele fará o diagnóstico, vai orientar sobre a necessidade de exames complementares e o tratamento, que nem sempre é necessariamente medicamentoso, mas visa restabelecer a arquitetura do sono, corrigindo os distúrbios que existam, melhorando a performance do dia a dia”, aconselha a neurologista.

Quando o médico percebe qualquer distúrbio, pede que o paciente faça um diário do sono (anotar várias informações como hora de ir dormir e de acordar). “Daí, ele aplica escalas como a de sonolência diurna, faz o exame clínico, da orofaringe e do pescoço”, explica a médica.

Algumas suspeitas diagnósticas podem requerer a polissonografia, exame em que o paciente dorme na clínica e fica o tempo todo monitorado. Exames como eletroencefalograma, eletrocardiograma, oximetria (medida da saturação da oxihemoglobina) e outros são realizados.
Após esse procedimento, o médico do sono vai, então, dar o diagnóstico e sugerir o tratamento mais adequado para os sintomas detectados.

Os principais distúrbios que exigem diagnóstico do médico do sono
Insônia. Afeta cerca de um terço da população e se manifesta através da dificuldade em iniciar ou manter o sono e o despertar precoce, que pode ser o primeiro sinal de depressão.

Roncos. Devem ser investigados sempre. Altos e frequentes são causa de hipertensão arterial sistêmica e podem ser um alerta para a apneia do sono. Nem todo roncador tem apneia, mas todo apneico ronca.

Apneia. Pausas da respiração que ocorrem durante o sono. Podem ser centrais ou obstrutivas. Durante as apneias, a oxigenação cerebral fica deficiente. Cada episódio pode durar de poucos segundos a mais de um minuto, repetindo-se inúmeras vezes, podendo ocorrer até centenas de vezes.

Sonolência excessiva diurna. Tendência aumentada ao sono, com compulsão para dormir em horários inapropriados.

Narcolepsia. A manifestação clínica mais frequente é a sonolência excessiva diurna. Outros três sintomas presentes: a cataplexia (perda súbita do tônus muscular geralmente desencadeada por emoções), a paralisia do sono (episódios de total paralisia, inclusive da voz, por minutos) e as alucinações hipnagógicas (que ocorrem no início do sono).

Distúrbios do ritmo circadiano. É o ritmo que se repete em torno de 24 horas, como sono e vigília. Dentre seus distúrbios, o “jet lag”, conjunto de sintomas e sinais que ocorrem devido a mudanças de fusos horários, como nas viagens internacionais, e o distúrbio do sono por trabalho em turnos, que consiste em sonolência excessiva diurna ou insônia devido às horas de trabalho não convencionais. O sono diurno não tem a mesma eficácia que o noturno.

Publicado em: 28/03/2010 – Fonte: http://www.otempo.com.br/otempo

Relacionamento

Posted in Uncategorized às 11:00 pm por valdezbhz

Comportamento.

Especialistas em relacionamento apontam alguns desafios para a felicidade conjugal
Como obter sucesso no amor?
Mulheres e homens precisam repensar a forma de agir para serem felizes a dois
Janine Horta

“Foi a melhor coisa que fiz em minha vida. Mudei da água para o vinho”. Assim a bancária paulista Sandra Leitão, 39, define a mudança em sua vida depois que contratou uma agência de namoros. A empreitada, criticada por alguns amigos e até por ela mesma, que teve dúvidas se daria certo e sentiu medo de ser enganada, resultou muito bem-sucedida. Após seis encontros, conheceu o tecnólogo Eduardo Setrak, que se tornou seu companheiro. Hoje, os dois estão muito felizes, após um ano e cinco meses de casamento.
“O pulo do gato foi quando aprendi a entender como um homem escolhe uma mulher. Assim, consegui fazer ele me escolher”, revela. Sandra aprendeu a ler os sinais do comportamento de um homem e de uma mulher e as diferenças de comportamento entre eles na hora do encontro amoroso.
“Foi fantástico, aprendi a conhecer as pessoas a partir do meu próprio auto-conhecimento. Me tornei mais confiante em mim mesma. Num dos encontros, por exemplo, após me despedir da pessoa, fui abordada por outro rapaz, que me viu de longe e teve vontade de me conhecer. Acredito que isso aconteceu porque me tornei aberta aos relacionamentos, ao contrário de antes, quando não saía e era mais fechada”, conta.
Cupido. Cláudya Toledo, 43, é a dona da agência de namoros que promoveu o encontro entre Sandra e Eduardo. Casada há 20 anos, ela tem três livros publicados sobre relacionamentos entre homens e mulheres, entre eles, “Eles são simples, elas são complexas”.
“Sempre fui cupido, desde nova. Promovi casamentos na minha família e entre amigos meus”, garante.
Entre as crenças de Cláudya está a de que há três princípios que devem ser observados para um relacionamento dar certo. O primeiro deles é a compatibilidade no nível social. O segundo, a compatibilidade na aparência, e um terceiro seriam os objetivos de vida. “Do que tenho observado nos atendimentos que faço, dificilmente um casal dá certo se não há compatibilidade nos três aspectos”.
Ying e yang. Para Cláudya, o beijo é o termômetro do relacionamento. Se o beijo está burocrático, algo já não está indo bem. Entretanto, se as coisas não vão bem, há maneiras de se salvar uma relação. “É preciso investimento das duas partes e não ficar colocando a culpa no outro. Mas, cabe ao homem estimular sexualmente a mulher, porque ele é yang, e cabe à mulher saber receber esse estímulo, porque ela é ying”.
Para estimular a companheira, até mesmo um elogio tem efeito. “A sexualidade não se resume ao ato sexual”, explica. Já a mulher deve saber atrair o homem para si mesma, ao invés de expulsá-lo de casa. “Se ele chegou tarde, não o receba com quatro pedras na mão. Fale sobre a falta que sentiu da presença dele”.
Tem jeito
Encontros. Entre os atendimentos feitos por Maraísa Abrahão em seu consultório, nas sessões de terapia de casal, entre 70% e 80% acabam recuperando o casamento. “E os que se separam o fazem de maneira mais equilibrada”, garante a psicóloga.

Dicas amorosas
Jantar a dois. Uma das ferramentas da sedução é a culinária. Uma comida feita com carinho para o amado ou amada dá energia à relação.

Decoração. Uma casa decorada do seu jeito traz muito mais sucesso para a relação do que uma casa organizada por uma pessoa contratada para isso. Coloque sua energia em tudo o que faz, para deixar o seu amor mais confortável em casa.

Sexo. Cabe ao homem despertar a energia sexual na relação. Um simples elogio ou uma massagem podem “esquentar” a mulher. Por outro lado, a mulher precisa estar sempre com a aparência bem cuidada, pois o homem é muito movido pelo aspecto visual.

Diferenças. Aceite o outro como ele é e aprenda a ouvir opiniões diferentes.

Fonte: Cláudya Toledo e Maraísa Abrahão

Casamento

Vida a dois requer muito investimento e dedicação

Há pessoas que temem fazer terapia de casal, afirmando que, quando o casal precisa de terapia e decide fazer, acaba se separando. Para o empresário C., que prefere não ser identificado, foi justamente uma terapia de casal que salvou seu casamento.

“Nós brigávamos por qualquer coisa, tudo era motivo para um irritar o outro e, na verdade, não havia uma razão concreta para esse desentendimento. Mas pensamos que valia a pena pedirmos ajuda a uma pessoa especializada, pois sabíamos que nos amávamos. Eu não queria ficar sem ela”, afirma o empresário.

C. diz que uma das coisas “aprendidas” na terapia foi a habilidade de ouvir o outro. “Agora estamos bem. Aprendemos a ceder em pequenas coisas, cada um naquilo que era possível. Mas foi preciso alguém de fora para nos escutar para conseguirmos fazer essa avaliação”, explica.

Foi a psicóloga e terapeuta de casais Maraísa Abrahão que atendeu o casal e acompanhou o desenrolar da história. Para ela, uma das coisas que podem provocar o fim de uma relação é a idealização que um faz do outro. Maraísa explica que cada um espera, sem perceber, reviver os papéis de homem e mulher que aprendeu com os pais. “As queixas que escuto em consultório são do tipo: minha mãe fazia isso para meu pai, por que ela não pode fazer para mim? Mas o casamento envolve algo mais do que ter a pessoa ideal, que é ser a pessoal ideal para o outro. E também precisamos aprender a aceitar a pessoa como ela é”, observa.

Outro ponto que leva a problemas na relação, segundo Maraísa, é a falta de um querer cuidar do outro. “Seja casamento, seja namoro, toda relação exige cuidado e investimento. Dá trabalho ser feliz a dois. Mas as pessoas estão mais preocupadas em ter sucesso no trabalho, em cuidar de filhos e deixam o amor para depois”. (JH)
Publicado em: 28/03/2010 Fonte: http://www.otempo.com.br/otempo

Março 25, 2010

a hora do planeta. participem. apenas 60 minutos

Posted in Uncategorized às 6:44 pm por valdezbhz

27 de março de 2010: mais um dia para ficar na história

No sábado, 27 de março, entre 20h30 e 21h30 (hora de Brasília), o Brasil participa oficialmente da Hora do Planeta. Das moradias mais simples aos maiores monumentos, as luzes serão apagadas por uma hora, para mostrar aos líderes mundiais nossa preocupação com o aquecimento global.

A Hora do Planeta começou em 2007, apenas em Sidney, na Austrália. Em 2008, 371 cidades participaram. No ano passado, quando o Brasil participou pela primeira vez, o movimento superou todas as expectativas. Centenas de milhões de pessoas em mais de 4 mil cidades de 88 países apagaram as luzes. Monumentos e locais simbólicos, como a Torre Eiffel, o Coliseu e a Times Square, além do Cristo Redentor, o Congresso Nacional e outros ficaram uma hora no escuro. Além disso, artistas, atletas e apresentadores famosos ajudaram voluntariamente na campanha de mobilização. Clique aqui e veja a lista de quem já aderiu.

Em 2010, com a sua participação, vamos fazer uma Hora do Planeta ainda mais fantástica!

Existem diversas formas de participação. A primeira delas é se cadastrar. Clique aqui e informe os dados necessários. É bem rápido. O cadastro dos participantes é a principal maneira que temos de avaliar quantas pessoas apagaram as luzes. Os participantes brasileiros serão somados com os de outros países, formando uma grande corrente pelo futuro do planeta. Os nomes das empresas cadastradas vão aparecer na página Quem Já aderiu. Clique aqui e veja a lista de quem já aderiu.

O próximo passo é espalhar a mensagem da Hora do Planeta para o maior número possível de pessoas. Convide familiares, amigos, colegas e membros da sua comunidade para participarem também.

Se você utiliza as mídias sociais, como Orkut, Twitter, Youtube e Facebook, use essas ferramentas para falar com os seus amigos. Publique as notícias sobre a Hora do Planeta produzidas pelo WWF-Brasil. Dê o link para vídeos e fotos sobre o movimento postados na internet.

Saiba o que acontece no mundo inteiro na Hora do Planeta. Clique aqui ou acesse http://www.earthhour.org.

Fonte: http://www.horadoplaneta.org.br/saibamais.php

Choque de gestão é isso?

Posted in Uncategorized às 3:15 pm por valdezbhz

Tucanos e mídia desviam recursos públicos

Sem maior alarde, o Departamento Nacional de Auditoria do Sistema Único de Saúde (Denasus) acaba de descobrir que três governos tucanos (São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul), além de um apêndice dos demos (Distrito Federal), desviaram recursos do SUS para o mercado financeiro nos últimos quatro anos. O desfalque serviu para incrementar os programas estaduais de ajuste fiscal, como manda a cartilha neoliberal do “choque de gestão”, em detrimento do atendimento à saúde de uma população estimada em 74,8 milhões de habitantes.

Numa excelente reportagem na revista Carta Capital, o jornalista Leandro Fortes denunciou este esquema criminoso. “Ao todo, o prejuízo gerado aos sistemas de saúde desses estados passa de 6,5 bilhões de reais, sem falar nas conseqüências para os seus usuários, justamente os brasileiros mais pobres”, revela. As auditorias do Denasus, feitas nos 26 estados e no DF, foram iniciadas em março de 2009 e entregues ao ministro da Saúde, José Gomes Temporão, em janeiro último. A intenção era saber quanto cada estado recebeu do SUS e o que fez com os recursos federais.

Ética do PPS foi para o esgoto

O primeiro caso de desvio foi descoberto no Distrito Federal. O ex-secretário da Saúde, Augusto Carvalho, expoente do PPS que se jactava de paladino da ética, “aplicou tudo em Certificados de Depósitos Bancários (CDBs). Em março do ano passado, a aplicação somava 238,4 milhões de reais. Parte do dinheiro, segundo investiga o Ministério Público Federal, pode ter sido usada no megaesquema de corrupção que resultou no afastamento e na prisão do governador José Roberto Arruda”. Será difícil o partido de Augusto Carvalho e Roberto Freire voltar a falar em ética.

Já nos governos tucanos de São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul, os auditores tiveram dificuldades para vasculhar as suas contas. Badalados pela mídia como “gestores modernos”, que zelam pela “transparência nas contas púbicas” eles fizeram de tudo para sabotar a investigação. O Denasus precisou recorrer ao Ministério Público Federal para descobrir que a governadora Yeda Crusius, entrincheirada na sua mansão sob suspeita de corrupção, reteve 164,7 milhões de recursos do SUS em aplicações financeiras até junho de 2009. Afetado atualmente por um surto de dengue, o estado aplicou apenas 0,29% dos seus recursos na vigilância sanitária. Um crime!

Discurso de Serra desmontado

“Com exceção do DF, a maior parte do recurso retido em São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul diz respeito às áreas de vigilância epidemiológica e sanitária, ai incluído os programas de combate à AIDS e outras doenças sexualmente transmissíveis (DSTs). Mas também há dinheiro do SUS no mercado financeiro desses três estados que deveria ter sido utilizado em programas de gestão à saúde e capacitação de profissionais do setor”, denuncia Leandro Fortes.

A investigação complica ainda mais a vida de José Serra. “No caso de São Paulo, a descoberta dos auditores desmonta um discurso muito caro ao governador, virtual candidato do PSDB à Presidência, que costuma vender a imagem de ter sido o mais pródigo dos ministros da Saúde do país, cargo ocupado por ele entre 1998/2000, durante o governo Fernando Henrique Cardoso”, aponta Leandro Fortes. Pelos cálculos do Denasus, apenas em 2007, José Serra deixou de aplicar na saúde R$ 1,1 bilhão. Apesar disto, o Tribunal de Contas do Estado aprovou as suas contas.

Mídia é devedora da Previdência Social

Apesar da gravidade dos fatos denunciados pela Carta Capital, a mídia demotucana tem evitado tratar do assunto. O seu “espírito investigativo” não funciona quando se trata de apurar os crimes da oposição neoliberal-conservadora, principalmente quando afetam o blindado José Serra. Mas, além das razões político-eleitoreiras, o silêncio da mídia tem outros motivos escusos. Ela mesma procura tirar vantagens econômicas do desmonte do setor público. A defesa do “estado mínimo” e contra a “gastança pública” tem também objetivos funcionais, de expropriação explícita.

O sítio Conversa Afiada, do jornalista Paulo Henrique Amorim, denunciou recentemente que os principais veículos de comunicação desfalcam a Previdência Social. Os demo-tucanos roubam a saúde e os barões da mídia roubam os aposentados e os pensionistas. “E depois eles reclamam do déficit da previdência”, ironiza Amorim. Os dados enviados ao blogueiro são bombásticos:

– A Infoglobo Comunicações, empresa das Organizações Globo, tem nove processos por dívidas com a Previdência Social, totalizando R$ 17.664.500,51;

– A Editora Abril deve R$ 1.169.560,41;

– A Rádio e Televisão Bandeirantes tem sete processos, totalizando R$ 2.646.664,15, sendo que três deles são de “Pedido de Penhora e/ou Reforço de Penhora”;

– A Folha de S.Paulo tem quinze processos e deve à Previdência Social R$ R$ 3.740.776,10;

– O Estado de S.Paulo tem dois processos e deve R$ 2.078.955,87;

– A Editora Globo tem dois processos e deve R$ 2.078.955,87. 

Fonte: www.altamiroborges.blogspot.com

Página seguinte